Postagens

Mostrando postagens de Março, 2021

Hamartiologia - Matéria completa

Imagem
 

ICP Responde: Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos (Mateus 22.32)

  ICP Responde Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos (Mateus 22.32) Catolicismo Romano. Cita este versículo para justificar a intercessão dos santos e de Maria junto a Deus. Resposta apologética: Jesus afirma que aqueles que já dormiram no Senhor (mortos para nós) estão, na verdade, vivos para Deus. Isso elucida a questão da sobrevivência da alma (Ap 6.9-11), pois Deus é Deus dos vivos e não dos mortos. O Senhor é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Todos esses homens já morreram, mas para Deus estão vivos! Não existe apoio escriturístico para a doutrina da intercessão realizada pelos santos. Os mortos estão conscientes no céu, mas não podem entrar em contato com os que estão na terra. Logo, não podem ouvir as orações dos vivos. Em relação ao texto de Mateus 17.4, não encontramos nenhuma menção de oração ou reza dirigida àqueles profetas durante a transfiguração, e muito menos houve comunicação entre Moisés e Elias e os demais discípulos. Os profetas falaram somente com Jesus e entre

Quem foi ferido e moído por nós?

Imagem
 

E dize aos que só profetizam de seu coração (Ezequiel 13.2)

  ICP Responde E dize aos que só profetizam de seu coração (Ezequiel 13.2) Comentário apologético: Há inúmeros profetas, em várias religiões, que “só profetizam de seu coração”. Entre tantos exemplos evidentes, fundamentamos esta pequena abordagem falando de William Marion Branham (Tabernáculo da Fé), que afirmou que, em uma visão, Deus lhe disse que, assim como João Batista foi o precursor da encarnação de Cristo, ele seria o precursor da segunda vinda de Cristo. Mas Branham morreu em 1965, aos 56 anos, e Jesus ainda não voltou. A Bíblia já contém toda a revelação de que precisamos e nos adverte contra as revelações adicionais (Jr 14.14; Ap 22.18). Saiba mais... www.icp.com.br

Hermenêutica - Matéria completa

Imagem
 

Nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos (Mateus 22.23-33)

  ICP Responde Nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos (Mateus 22.23-33) Meninos de Deus. Afirmam que no céu o relacionamento sexual será aberto, insinuando, com isso, que os anjos têm vida sexual ativa, mas sem compromisso matrimonial. Mormonismo. Declara que seus adeptos poderão casar e dar-se em casamento no céu. Resposta apologética: Os sectários que defendem este ponto de vista incorrem no mesmo erro dos saduceus. Vejamos a resposta de Jesus a esse grupo: “Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus”. A Bíblia afirma que seremos “como os anjos de Deus no céu”. Entendemos, pelo texto, que os anjos “nem casam nem são dados em casamento”. Quando indagado pelos saduceus, o objetivo de Jesus não era discutir a respeito de quem seria parceiro sexual de quem, mas, sim, defender a verdade de que no céu não haverá relacionamentos conjugais. Uma vez que os nossos corpos estiverem ressurrectos e glorificados, seremos como os anjos de Deus, não casaremos ne

Quem é o autor e consumador da fé?

Imagem
 

Por que precisamos crer em Jesus Cristo?

Imagem
 

Dai, pois, a César o que é de César (Mateus 22.21)

  ICP Responde Dai, pois, a César o que é de César (Mateus 22.21) Espiritismo. Declara que este versículo está se referindo ao cumprimento dos deveres para com a família, a sociedade, as autoridades e os indivíduos. Resposta apologética: Sem dúvida, o objetivo do esclarecimento apresentado pelo espiritismo é incutir na mente dos homens o entendimento de que o que vale, nesta vida, e para as vidas futuras, é praticar (tão-somente!) atitudes socialmente corretas, omitindo as orientações bíblicas que se harmonizam com o plano de salvação. Devemos lembrar, no entanto, que o exercício de correção social (dever de todo cristão e homem da sociedade) não tem nenhuma valia para fins salvíficos, o que contesta frontalmente a equivocada tese espírita que afirma: “fora da caridade não há salvação”. O versículo em análise não se restringe à afirmação espírita. Antes, em sua seqüência, relata o seguinte: “... e a Deus, o que é de Deus”, o que parece não ser levado em consideração pelos espíritas. Je

O adventismo é uma seita?

Imagem
 

Quem nos reconcilia com Deus?

Imagem
 

Evangelismo e Missões

Imagem
 

Quem nos purifica de todo o pecado?

Imagem
 

Unidos contra um inimigo comum

Imagem
 

Português para pregadores do evangelho - Parte II

Imagem
 

Em resgate de muitos (Mateus 20.28)

  ICP Responde Em resgate de muitos (Mateus 20.28) Testemunhas de Jeová. Por conta deste versículo, criaram duas classes de membros: a dos ungidos (para os quais o resgate proporciona o céu logo após a morte) e a das “outras ovelhas” (que viverão na terra). Segundo ensinam, as pessoas que compõem esta última classe morrem com a esperança de um dia ressuscitarem com o seguinte objetivo: viver na terra uma nova prova durante o reino milenial de Cristo. Resposta apologética: A palavra “resgate” é uma tradução do termo grego lytron, que significa “preço de redenção”. Jesus pagou igualmente o preço de redenção por todos os homens. Não faz acepção de pessoas. Pelo contrário, oferece salvação perfeita e completa a todos (Jo 1.29; Hb 7.25; 9.11,12; 10.10,12). Aos olhos de Cristo, a humanidade é classificada da seguinte forma: salvos e perdidos (Mt 7.13,14). Espiritismo. Afirma que a missão de Cristo não foi resgatar a humanidade por meio de seu sangue, e que o sangue, ainda que de um Deus, não

Quem nos justifica?

Imagem
 

A salvação e o dízimo.

Imagem
 

Nosso site: www.icp.com.br

Imagem
 

Visão Panorâmica do Novo Testamento

Imagem
 

Hebraico para iniciantes

Imagem
 

Por quem somos guiados?

Imagem
 

As portas do inferno não prevalecerão contra ela ( Mateus 16.18)

  ICP Responde As portas do inferno não prevalecerão contra ela ( Mateus 16.18) Comentário apologético: À luz da Bíblia, e contrariando aquilo que muitos líderes de seitas afirmam, não existe nenhuma Igreja verdadeiramente de Cristo que não lhe seja fiel. Joseph Smith, fundador do mormonismo, declarou que recebeu a revelação de que todas as igrejas se apostataram da fé e que todos os credos da cristandade não passam de abominações. Mas Jesus, no texto bíblico em referência, garantiu a sobrevivência de sua Igreja para sempre. O apóstolo Paulo também falou que Deus seria glorificado por Jesus Cristo, mediante sua Igreja, por todas as gerações: “A esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre” (Ef 3.21). Logo, a Igreja de Cristo, em nenhuma época, cometeu apostasia. Saiba mais... www.icp.com.br

Português para pregadores do evangelho

Imagem
 

Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja (Mateus 16.18)

  ICP Responde Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja (Mateus 16.18) Catolicismo Romano. Declara que a expressão “esta pedra” significa que a igreja está edificada sobre Pedro, que foi o primeiro papa e exerceu este cargo em Roma durante vinte e cinco anos. Resposta apologética: A expressão “sobre esta pedra” está relacionada à resposta de Pedro, que disse: “Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo”. É sobre Cristo que a Igreja foi edificada e não sobre Pedro. Jesus afirmou que Ele próprio era a pedra (Mt 21.42). A afirmação de Jesus é uma interpretação veraz do Salmo 118.22. O próprio Pedro identifica Jesus como sendo a pedra (At 4.11,12; 1Pe 2.4-6). Se Pedro foi papa durante vinte e cinco anos, então existe algo errado, já que o apóstolo foi martirizado no reinado de Nero, entre os anos 67 e 68 a.D. Subtraindo desta data vinte e cinco anos, retrocederemos ao ano 42 ou 43 a.D. Nessa época, não havia sido realizado ainda o Concílio de Jerusalém (At 15), que ocorreu por v

Quem consola a igreja de Deus?

Imagem
 

Visão panorâmica do Antigo Testamento

Imagem
 

Tu és o Cristo (Mateus 16.16)

  ICP Responde Tu és o Cristo (Mateus 16.16) Nova Era. Segundo declara, esta passagem anuncia que Cristo é um espírito cósmico que repousa periodicamente sobre pessoas iluminadas, por isso valoriza os fundadores das religiões, como Buda, Confúcio, Maomé, Saint Germain e Lord Maytreia. Alega, ainda, que Jesus e Cristo são duas pessoas distintas. Com a morte de Jesus, Cristo se retirou e permanece vivo nas regiões celestiais. Ultimamente, é tido como Lord Maytreia. Resposta apologética: Em 1João 2.18, lemos a respeito de anticristos que se apresentam como sendo o próprio Cristo: “Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora”. Jesus Cristo é uma pessoa só, não se divide em duas pessoas. Verdade reconhecida desde o seu nascimento: “Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor (Lc 2.11). Saiba mais... www.icp.com.br

Por quem a igreja deve ser ensinada?

Imagem
 

Olá, pessoal, a Paz! A aula de hoje já está disponível. Tema: "Doutrina do Espírito Santo". Conto com sua visualização e divulgação. Obrigado!

Imagem
 

Hebraico para iniciantes - Aula 59

Imagem
 

Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será? (João 21.22,23)

  ICP Responde Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será? (João 21.22,23) Testemunhas de Jeová. Empregam este texto para tentar justificar a tese dos “lampejos de luz” que, por sua vez, visa amenizar o embuste das falsas profecias de 1914, 1925, 1975, entre outras muitas mudanças. Resposta apologética: Esta passagem não diz que os discípulos de Jesus e os cristãos primitivos possuíam expectativas erradas. O que ocorreu não passou de um mal-entendido de Pedro e dos demais que interpretaram erroneamente a declaração de Jesus, que disse: “Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti?” (v. 22). Entenderam os ouvintes que o discípulo João não morreria. A divulgação do equívoco foi uma precipitação dos homens e não uma revelação de Deus, que, posteriormente, necessitasse ser aprimorada. Saiba mais... www.icp.com.br

Como somos regenerados e renovados?

Imagem
 

Devemos batalhar pela nossa fé?

Imagem
 

Como eram os sepultamentos nos tempos bíblicos?

Imagem
 

Àqueles a quem perdoardes os pecados (João 20.22,23)

  ICP Responde Àqueles a quem perdoardes os pecados (João 20.22,23) Catolicismo Romano. Com base nestes versículos, declara que Jesus concedeu poder aos discípulos para que pudessem perdoar pecados e esse poder foi transmitido aos sacerdotes católicos ao longo dos séculos. Resposta apologética: O poder de que nos fala o texto em referência, registrado também em Mateus 18.18, é meramente no sentido declarativo. A mensagem evangélica diz: “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Mc 16.16). Estas palavras, no entanto, não podem salvar nem condenar. Apenas declaram que quem não satisfizer as condições da salvação por Cristo, estipuladas pelo próprio Cristo, já se condenou. Assim, se não é o pregador quem condena ou salva, segue-se também que o pregador não tem poder, de si próprio, para perdoar. O poder que possui é meramente declarativo. Podemos observar que, no Antigo Testamento, ninguém teve poder para perdoar pecados, senão Deus (Is 40.22; 43.25). O Novo

Assoprou sobre eles (João 20.22)

  ICP Responde Assoprou sobre eles (João 20.22) Unicistas. Declaram que Jesus soprou para dentro dos discípulos e isso indica, claramente, que o Espírito Santo é o fôlego do Senhor Jesus, logo, não existem três pessoas na unidade Divina, mas apenas uma, com três modos de ser ou três manifestações de Jesus. Saiba mais... www.icp.com.br

Não devemos entristecer o Espírito Santo

Imagem
 

Teologia Sistemática II"

Imagem
 

Como Deus se revela à humanidade?

Imagem
 

Hebraico para iniciantes

Imagem